15.2.09

O ÚLTIMO ADEUS - AMINHA QUERIDA EMMA DEIXOU-NOS

Na passada Sexta- Feira houve um incêndio na minha casa.
A Emma estava lá.
Acabou por morrer asfixiada pelo fumo.
A dôr é profunda. A Emma não era uma cadela vulgar. Quem a conhecia sabia-o!
Mas só morre quem nós esquecemos... e tu, minha querida, nunca serás esquecida: a nossa EMMA continuará sempre viva... nos nossos corações.
A casa está lá... inabitável, escura, triste... As chamas e o fumo negro deixaram o meu canto irreconhecível, tal como a minha alma: negro, de luto profundo!
Agradeço às dezenas de amigos, vizinhos e familiares que prontamente compareceram para ajudar.
Um agradecimento muito especial para os funcionários e professores do meu Agrupamento (e foram muitos), que arregaçaram as mangas para ajudar e que de um forma, ou de outra demonstraram a sua disponibilidade e solidariedade...
No meio da tragédia surge a luz e a esperança no futuro... a força para recomeçar!
A TODOS UM IMENSO BEM-HAJA!
É nestes momentos que vemos que afinal estamos rodeados de tanta gente que nos quer bem, de tantos amigos!

Dia Mundial da Poesia

Há 3 anos o meu pai escreveu... No dia Mundial da Poesia, uma passagem discreta: VEM ACONTECER Tardo Na tarde E este entardecer Ta...