Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2009

JAIME GRALHEIRO E O SEU SANTO DE ELEIÇÃO - S. MACÁRIO

Jaime Gralheiro - Memórias de infância
S. Pedro do Sul - MACIEIRA DE HÁ 70/80 ANOS
(Revisitação com gente lá dentro)

Falo de Macieira de Sul (S. Pedro do Sul), a aldeia mais serrana da freguesia, nas faldas do monte S. Macário, a deslado do Soito, Posmil e Lageosa, já pertencentes à freguesia de S. Martinho (das Moitas). Falo do lugar onde nasci e se me ficou inteiro na memória, desde que, aos nove anos, de lá desandei para (praticamente) nunca mais lá voltar. Falo de Macieira virada a sul/nascente, com as costas bem protegidas dos ventos norte pelo gabinardo do santo protector a que se encosta. Falo da varanda sobre o vale do Sul, com o lugar dos Pesos, do outro lado, em frente, por onde a gente se guiava no virar das águas: a sombra a varrer os Pesos.
Falo de Macieira, onde no centro se erguia a morada de casas dos senhores da terra que viviam em Nespereira (Alta) e ali vinham, apenas, de vez enquando, receber as rendas. Agora, falo dessas casas com paredes em porpianho e cobertas c…

LANÇAMENTO DO " A CAMINHO DO NUNCA - GALERIA VIEIRA PORTUENS

A CAMINHO DO NUNCA, é a última obra de Jaime Gralheiro, publicada pela editora HUMUS. Com lançamentos em Viseu, Coimbra e Lisboa, foi apresentada pelo próprio autor na GALERIA VIEIRA PORTUENSE (LINK -http://cadernosdarte.blogspot.com/2009/09/caminho-do-nunca-de-jaime-gralheiro.html), (Largo dos Lóios,50, da cidade do Porto), no dia 25 de Setembro, pelas 18 horas.


Jaime Gralheiro diz que a obra «É uma síntese poética entre o romance e o teatro, com laivos memorialistas e de ensaísmo histórico. A linguagem é diferente, ninguém escreve e ninguém diz como eu. O estilo pode fazer lembrar o Aquilino, face aos muitos regionalismos. De vez em quando, Fernão Lopes, Gil Vicente, Camões, tudo autores com quem tenho um trato próximo. Também passo por Garrett, Herculano, Eça e Antero. Todos estão lá. É um texto com ressonâncias da escrita moderna»

«Em 1990, fui convidado a escrever uma série para a TV sobre a geração de 60, mas nunca foi levada à cena. Passados 12 anos voltei ao texto e fiz coisa n…

NOVO LIVRO DE JAIME GRALHEIRO

A Caminho do Nunca? – ou minha loucura outros que me a tomem»Livro de Jaime Gralheiro é esta quarta-feira apresentado na UA O auditório da Livraria da UA recebe esta quarta-feira, 24 de Junho, pelas 18h00, o lançamento do livro «A Caminho do Nunca? - ou minha loucura outros que me a tomem», de Jaime Gralheiro. A apresentação será feita pela Dra Teresa Soares, vogal da comissão de gestão do CIFOP e coordenadora do programa da formação em serviço na UA. Sobre o livro:
«A Caminho do Nunca? – ou minha loucura outros que me a tomem» é um emaranhado de pequenas estórias (inventadas) que, como a era, se agarram e vão subindo pela grande árvore da História dos anos sessenta, tudo transformado num grande painel em carne viva daquele tempo português.É a recreação romanceada muito próxima da realidade desse tempo, recreação esta que se desenvolve através de várias vertentes da nossa vida colectiva de então desde a emigração (por salto) para França, à luta politica (clandestina, legal e semi-legal…

VOU TER UMA NOVA EMMA - OBRIGADA AMIGOS!

VOU TER UMA NOVA EMMA.
IMAGINEM QUEM ME A VAI OFERECER?
OS PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS DO AGRUPAMENTO...
NÃO HÁ PALAVRAS PARA EXPRIMIR A MINHA GRATIDÃO.
UM GRANDE BEM-HAJA (À MODA DA BEIRA).

ESTES GESTOS FAZEM-NOS ACREDITAR NA HUMANIDADE!
TODOS OS QUE COLABORARAM SÃO PESSOAS DE BEM, SENSÍVEIS À DÔR DOS OUTROS.
ENFIM, PESSOAS QUE FAZEM FALTA À HUMANIDADE!

COMO DIZIA A MINHA FALECIDA MÃE (E SE ELA ERA SÁBIA)...

"O DESENVOLVIMENTO CIVILACIONAL MEDE-SE PELA FORMA COMO OS IDOSOS E ANIMAIS SÃO TRATADOS".

O ÚLTIMO ADEUS - AMINHA QUERIDA EMMA DEIXOU-NOS

Na passada Sexta- Feira houve um incêndio na minha casa.
A Emma estava lá. Acabou por morrer asfixiada pelo fumo. A dôr é profunda. A Emma não era uma cadela vulgar. Quem a conhecia sabia-o! Mas só morre quem nós esquecemos... e tu, minha querida, nunca serás esquecida: a nossa EMMA continuará sempre viva... nos nossos corações. A casa está lá... inabitável, escura, triste... As chamas e o fumo negro deixaram o meu canto irreconhecível, tal como a minha alma: negro, de luto profundo! Agradeço às dezenas de amigos, vizinhos e familiares que prontamente compareceram para ajudar. Um agradecimento muito especial para os funcionários e professores do meu Agrupamento (e foram muitos), que arregaçaram as mangas para ajudar e que de um forma, ou de outra demonstraram a sua disponibilidade e solidariedade... No meio da tragédia surge a luz e a esperança no futuro... a força para recomeçar! A TODOS UM IMENSO BEM-HAJA! É nestes momentos que vemos que afinal estamos rodeados de tanta gente que nos quer b…